quinta-feira, 23 de junho de 2011

Operação policial termina com oito mortos na zona norte do Rio

Uma operação policial na comunidade do Engenho da Rainha, na zona norte do Rio, deixou oito mortos na madrugada de hoje (23). Segundo a Polícia Militar (PM), as vítimas foram baleadas porque entraram em confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

De acordo com a polícia, os homens foram socorridos e levados para o Hospital Salgado Filho, no Méier, mas morreram em seguida. A assessoria de imprensa da PM diz que a operação foi motivada pela denúncia de que havia um grande número de homens armados na comunidade.

A polícia não soube dizer, no entanto, se os criminosos que estavam no local integram a quadrilha que fugiu do Morro da Mangueira antes da ocupação da favela, no último domingo (19), para a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

De acordo com a polícia, foram apreendidas sete armas, sendo dois fuzis, e duas granadas, além de munições e drogas.

Na tarde de ontem (22), na favela vizinha do Morro do Juramento, policiais militares do Batalhão de Irajá também fizeram uma operação para ocupar a comunidade. Segundo o comandante do batalhão, coronel Alexandre Fontenelle, a polícia recebeu informações de que os bandidos do Juramento, da mesma facção criminosa da Mangueira e do Engenho da Rainha, estavam se mobilizando.

“Nós tomamos a região justamente para evitar que eles saíssem dali para cometer atos criminosos. Nós ocupamos a comunidade em pontos estratégicos e assim acabamos com a possibilidade de qualquer movimentação dos traficantes daquela região para outros locais”, disse o coronel.

A comunidade ficará ocupada pela polícia por tempo indeterminado. No início da ocupação da favela, houve troca de tiros e um homem que passava de carro perto do morro acabou sendo atingido por uma bala perdida. Segundo a polícia, a vítima passa bem.

Ontem, duas operações policiais já haviam deixado quatro mortos, dois na favela de Vila Kennedy, em Bangu, e dois em uma favela de Niterói.

*Reportagem publicada na Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário